Como surgem os primeiros dentes da criança?

A partir dos 6 meses de idade os primeiros dentinhos começam a aparecer na boca dos bebês. Com eles, costuma vir também irritação, dor e até febre e diarreia, modificando os hábitos alimentares e atrapalhando a rotina da criança.

Mas afinal, como surgem esses primeiros dentes da criança? O que os pais podem fazer para aliviar o incômodo do bebê? O que fazer se um dos dentes não nascer? Vamos responder a essas e outras perguntas neste post. Confira!

De onde surgem os dentes do bebê?

Os dentes são formados durante a gestação — os dentes de leite se formam por volta da 6ª semana de gravidez e os dentes permanentes por volta do 5º mês —, o que faz com que o bebê já tenha todos os seus dentes antes do nascimento, ainda que eles estejam escondidos no maxilar e na mandíbula.

Quando os dentes começam a nascer?

Apesar da maioria dos bebês ganhar os primeiros dentinhos entre o 6º e o 8º mês de vida, algumas crianças saem dessa curva e já nascem com dentes ou completam 1 ano sem dentes na boca.

Os primeiros a surgirem são os incisivos centrais inferiores, seguido dos centrais superiores e dos incisivos laterais. O último dente de leite a nascer é o 2º molar, por volta dos 2-3 anos, completando a dentição de leite.

Quais são os sinais de que os dentes estão nascendo?

A gengiva sobre o dente fica inchada e avermelhada, provocando incômodo até um mês antes do dente realmente nascer. Com o incômodo, a criança fica mais irritada, saliva mais, tem dificuldade para dormir e perde o apetite.

O que faço para amenizar o incômodo do meu bebê?

Massagear o local e aplicar compressas frias ajudam a diminuir o incômodo e a dor, acalmando o bebê. Para isso, utilize gazes molhadas com água filtrada ou soro fisiológico ou mesmo colheres resfriadas na geladeira.

No mercado já existem também mordedores de gel próprios para essa fase que podem ser colocados na geladeira por algumas horas antes de serem oferecidos à criança.

A chegada dos dentes causa febre e diarreia?

A erupção dos dentes na gengiva gera a liberação de substâncias inflamatórias que podem gerar uma febre baixa, mas nada preocupante. Febres mais altas e diarreia indicam que a criança está com alguma infecção gastrointestinal concomitante, o que é comum, já que, para aliviar o incômodo dos dentes, a criança coloca diversos objetos na boca e acaba se contaminando.

E se um dente de leite não nasce?

Pequenos atrasos no nascimento dos dentes são normais, dependendo do organismo de cada criança. Caso a criança não tenha dentes ao completar 1 ano, é recomendada uma visita ao odontopediatra para avaliação da possibilidade de alterações na gengiva que prejudicam a erupção ou mesmo da não-formação dos dentes de leite (agenesia).

É normal o espaço extra entre os dentes de leite? Isso significa que a criança precisará de aparelho?

A dentição de leite é composta de apenas 20 dentes, enquanto a dentição permanente possui 32. Assim, o espaço extra entre os dentes de leite deverá ser preenchido quando a criança trocar sua dentição, não sendo preocupante ou indicando a necessidade de uso de aparelho ortodôntico.

Como limpar os dentinhos do bebê?

Antes mesmo dos dentes nascerem, já se pode incorporar a limpeza da gengiva com uma gaze após as mamadas na rotina da criança, mas é a partir do nascimento do primeiro dentinho que a escova de dentes entra em cena após todas as mamadas e refeições.

A escova deve ter uma cabeça pequena e flexível, com cerdas bem macias, e deve-se usar uma quantidade mínima de pasta de dente com flúor — o equivalente a um grão de arroz. O fio dental é recomendado à medida que os outros dentes nascem e surgem espaços que a escova não consegue mais limpar. Já o enxaguante bucal é contraindicado antes dos 6 anos de idade.

Quer entender ainda mais sobre os dentes da criança? Descubra agora como o açúcar pode prejudicar a saúde bucal infantil!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *