5 curiosidades da odontologia para gestantes

A gravidez é uma fase da vida da mulher que inspira cuidados, pois ela passa a ter necessidades diferentes das demais pessoas. Além disso, seu organismo fica sensível e algumas substâncias podem comprometer sua saúde e do bebê. No entanto, será que isso também acontece quando o assunto é saúde bucal?

Para esclarecer um pouco mais sobre a odontologia para gestantes é que preparamos essa lista com curiosidades a respeito desse assunto.

Continue lendo e veja o que acontece com a saúde bucal das mulheres quando ficam grávidas.

1. O tratamento oral não deve ser feito em algumas fases da gravidez.

Se a mulher pretende engravidar é aconselhado que ela faça seu tratamento oral antes de ficar grávida. Isso porque durante os três primeiros meses de gravidez não é indicado passar por procedimentos odontológicos.

São utilizadas substâncias que podem fazer mal para ela, podem ser receitados medicamentos que causam efeitos colaterais, e o estresse do momento pode abalar a gestação. Além disso, a incidência de enjoos é muito maior.

Nos últimos três meses o tratamento também pode ser desconfortável para a mulher, especialmente pela posição que ela precisa adotar para passar pela consulta. Então, o ideal é tratar-se antes ou marcar a consulta entre o 4º e o 6º mês.

2. O antisséptico bucal deve ser evitado.

Naturalmente a mulher pode ficar com a boca seca durante a gestão. Como a maioria dos antissépticos contém álcool, é indicado evitar o uso desses produtos para não ressecar ainda mais a mucosa bucal. As exceções acontecem quando o médico e o dentista liberam o uso do produto para casos específicos.

3. As gengivas ficam sensíveis durante a gravidez

Um ponto muito debatido sobre a odontologia para gestantes é a saúde das gengivas. Comumente diz-se que a gravidez ocasiona a gengivite e outros problemas periodontais, no entanto, isso não é verdade. O que acontece é que a gestante fica mais suscetível a desenvolver esses problemas por causa das alterações hormonais.

Essas alterações influenciam na vascularização da gengiva. E o acúmulo de placa bacteriana provoca as infamações. Mas se a mulher mantiver uma boa higiene bucal, ela não terá nenhum tipo de problema.

4. A gravidez não causa erosão dentária.

Essa é outra curiosidade sobre a odontologia para gestantes, porque durante essa fase a mulher pode sofrer com a erosão ácida, mas não é a gravidez que a ocasiona. Assim como para a gengivite são as circunstâncias que levam ao problema.

Os enjoos matinais e as náuseas podem aumentar a acidez da saliva, e a presença de mais ácidos na boca é que pode provocar a erosão. Em alguns casos isso é intensificado quando a mulher dá preferência para alimentos ácidos com o intuito de amenizar os enjoos.

No entanto, a erosão pode ser evitada com uma boa higiene bucal e também enxaguando a boca com fluoreto ou água para manter a acidez sob controle.

5. Os dentes não ficam fracos na gravidez.

Por causa do aumento das chances de desenvolver gengivite e erosão dentária é que se tem a ideia de que a gravidez afeta os dentes deixando-os fracos, porém como já esclarecemos isso não é verdade.

O mesmo se dá com as cáries. As pessoas acreditam que a gravidez as provoca também, mas é a negligência com a saúde bucal — pelo fato de a mulher comer mais vezes durante o dia e nem sempre higienizar a boca. 

A gravidez não afeta negativamente os dentes. A odontologia para gestantes mostra que se a mulher mantiver os cuidados que seu estado requer, realizar consultas periódicas com o dentista, seus dentes e tecidos orais estarão saudáveis para ela sorrir com dentes bonitos ao ver pela primeira vez o rostinho do seu bebê no dia do parto.

Agora que você já sabe como cuidar da sua saúde bucal durante a gravidez, que tal esclarecer algumas dúvidas sobre a saúde bucal do seu filho? Veja como tudo começa com o surgimento dos primeiros dentinhos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *